Ar poluído? A fachada pode ajudar!

Os centros urbanos e seus problemas… Poluição proveniente das indústrias e veículos, poucas áreas verdes, grande densidade: tudo isso afeta diretamente a qualidade do ar. Visando amenizar a situação de muitas cidades, a empresa alemã Elegant Embellishments, criada por dois arquitetos Allison Dring e Daniel Schwaag, desenvolveu um componente filtrante, que consegue converter os elementos químicos, presentes na poluição do ar, em substâncias não tóxicas.

Chamado de Prosolve, a ideia começou a repercutir depois que um protótipo foi apresentado na Bienal de Arquitetura de 2008. A grande diferença é que essa solução converte elementos muito tóxicos em substâncias inofensivas ao ambiente e à saúde, que são posteriormente “lavadas” pela água da chuva.

E como funciona? Cada peça recebe uma camada de dióxido de titânio, ativado pelos raios UV. Esta substância faz o papel de um catalisador e “quebra” óxidos de nitrogênio e compostos orgânicos voláteis, resultando como produto, o dióxido de carbono, nitrato de cálcio (utilizado em fertilizantes) e água. Cada metro quadrado de instalação deste elemento vazado remove 0,26 gramas de óxidos de nitrogênio por dia. E o melhor de tudo? O dióxido de titânio não é consumido na reação química e não há necessidade de reaplicá-lo ao longo do tempo.

Tudo isso sem pecar na estética.

 

Prosolve_funcionamento
Funcionamento do painel Prosolve, que transforma as substâncias tóxicas em outras menos nocivas. (Fonte: Prosolve370e)

 

O design: sinergia entre estética e tecnologia

 

prosolve formato
A forma dos módulos possui um papel importante na funcionalidade do conjunto filtrante. (Fonte: Prosolve370e)

 

Segundo os fundadores, a inspiração veio dos corais, animais que têm a função biológica de filtrar a água do mar. A forma das peças, feitas de um material plástico e leve, auxilia na eficiência do processo químico, pois recebe a luz e o vento de todas as direções, reduz a velocidade do mesmo e cria uma pequena turbulência interna, que proporciona uma distribuição mais equilibrada dos poluentes na superfície do elemento vazado. Por esse motivo, Schwaag ressalta que o dióxido de titânio aplicado em fachadas planas não teria a mesma eficiência.

Os elementos vazados são regulares, compostos por algumas peças diferentes, que se repetem. Essa modularidade deixa o sistema muito mais acessível e o torna viável. Em contrapartida, o arranjo das peças forma uma imagem ramificada, de crescimento orgânico, aparentando uma complexidade arquitetônica. Além disso, sua forma é customizável, o que gera diferentes possibilidades de projeto.

 

prosolve_modularidade
Composição rica com apenas dois módulos diferentes, gera sensação de aleatoriedade. (Fonte: Prosolve370e)

 

As peças podem ser utilizadas em fachadas, painéis externos ou internos, em barreiras ao longo de avenidas, em estacionamentos, etc. Seu efeito é capaz de transformar a estética da cidade, por dar identidade a pontos sem atrativos ou restaurar degradados.

 

prosolve producao instalacao
Os elementos são formados por duas metades, leves e ocas. Sua fixação se dá com elementos metálicos. (Fonte: Elegant Embellishments Tumblr)

 

Projeto

O primeiro projeto a aplicar estes elementos na fachada é o Hospital Manuel Gea Gonzalez, na Cidade do México.

 

prosolve_filtro_ar
Fachada da Torre de Especialidades, do Hospital Manoel Gea Gonzalez – 2013. (Fonte: Prosolve370e)

 

elevacao_hospital_mexico
Elevação do Hospital. (Fonte: Elegant Embellishments Tumblr)

 

A cidade do México é considerada uma das cidades mais poluídas do mundo. Desde a década de 1980, a cidade já luta contra a poluição do ar, através do incentivo ao uso do transporte público, mudanças na fórmula da gasolina, implementação do rodízio veicular e incentivo à mudança das indústrias mais poluidoras da área. No início de 2016, a cidade entrou em contingência ambiental mais uma vez, pelos mesmos motivos. O governo exigiu uma diminuição de 40% das emissões das indústrias e tomou providências para diminuir a circulação de veículos.

Segundo Allison Dring, como o problema da Cidade do México é conhecido por toda a população, o uso desta tecnologia nas fachadas significa que algo está sendo feito para melhorar a condição do ar. A área de 2500m2 da fachada consegue neutralizar o impacto equivalente a 1.000 carros por dia. Consequentemente, a qualidade do ar no entorno próximo a edificação melhorou de forma considerável.

 

prosolve_prototipos
Antes da aplicação in loco, protótipos foram instalados na fábrica, em Ulm, para testar os módulos e estimar o tempo de montagem. (Fonte: Prosolve370e)

 

prosolve_protecao solar
E além de tudo, os módulos funcionam como proteção solar, diminuindo a radiação direta no edifício e, consequentemente, a carga térmica interna. (Fonte: Elegant Embellishments Tumblr)

 

E quem não quer ar puro no meio do caos?

O Brasil já se mostrou interessado em trazer a tecnologia para cá, mas os custos da importação não viabilizaram o projeto. Schwaag acredita que a melhor forma de possibilitar o uso do elemento vazado aqui seria produzi-lo em terreno nacional.

Outros projetos que utilizarão o Prosolve estão sendo desenvolvidos na América do Sul, na Ásia e na África. Por incrível que pareça, na Alemanha não há nenhuma aplicação deste sistema, pois, segundo Schwaag: “Colocar a solução é admitir o problema.”

Nossas cidades podem sim ser um lugar melhor. Tomar consciência do problema é o primeiro passo para buscarmos uma solução. E são essas novas tecnologias que mostram que estamos no caminho para melhorar a qualidade de vida dos centros urbanos e torná-los mais sustentáveis.

 

 

Fontes:

BloombergBuzzbuzz HomeCanal CNNElegant EmbellishmentsFast CoexistGreen MeInhabitatIstoéOutra CidadePortal G1Prosolve 370eSmart MagazineTumblr Elegant Embellishment

 

 

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *