Fachada viva: sua casa também pode ter uma

Semana passada, vimos vários exemplos em edifícios construídos. Essa semana, vamos mostrar como sua casa também pode ter uma fachada viva. Apresentaremos, com esquemas, alguns exemplos fáceis de executar, lembrando que é sempre muito importante consultar um profissional da área, pois muitas destas soluções geram sobrecargas nas estruturas e necessitam serviços de impermeabilização. Além disso, lembre-se que são seres vivos e que vão precisar de constantes cuidados. Por isso, fácil acesso para manutenção sempre.

 

Fachada viva:

1. Com elementos verticais e trepadeiras:

 

Talvez a proposta mais fácil que mostraremos aqui hoje, pois as espécies podem ser plantadas no térreo, no próprio jardim ou em vasos. Fios de aço ou painéis são fixados no perímetro da construção e servem de guias para trepadeiras.

 

Com fios de aço ou elementos verticais, as trepadeiras são guiadas para compor a fachada viva.
Com fios de aço ou elementos verticais, as trepadeiras são guiadas para compor a fachada viva.

 

Exemplos de fachadas vivas com elementos verticais, que podem ser com fios de aço, com brises, com telas metálicas, etc. As trepadeiras ficam no próprio jardim ou em floreiras. (Fontes: Archdaily, Divisare, Telhado Jardim e Selector).
Exemplos de fachadas vivas com elementos verticais, que podem ser com fios de aço, com brises, com telas metálicas, etc. As trepadeiras ficam no próprio jardim ou em vasos. (Fontes: Archdaily, Divisare, Telhado Jardim e Selector).

 

As espécies são escolhidas de acordo com o objetivo que quer alcançar. Por exemplo, se o clima é frio, a Hera é uma boa opção, pois perde suas folhas no outono e inverno. A Tumbérgia e o Cipó de São João podem ser utilizados onde há necessidade de crescimento rápido, com o bônus de flores ornamentais. O Jasmin de Madagascar é uma boa opção para quem quer um jardim de cheiro, lembrando que esta espécie tem crescimento lento.

 

Com o mesmo conceito, podemos criar um plano oblíquo, como neste exemplo: a Casa Green Screen, de Hideo Kumaki Architect Office. (Fonte: Archdaily).
Com o mesmo conceito, podemos criar um plano oblíquo, como neste exemplo: a Casa Green Screen, de Hideo Kumaki Architect Office. (Fonte: Archdaily).

 

Com floreiras:

Com floreiras, temos duas opções:

A primeira é utilizar espécies pendentes nos andares superiores, que protegem os inferiores. Como exemplo de espécies, podemos citar a Russélia, Dicondra e alguns tipos de Hera.

 

Corte esquemático de floreiras com plantas pendentes.
Corte esquemático de floreiras com plantas pendentes.

 

Exemplos de construções com este tipo de fachada viva. (Fontes: Contemporist e Archdaily).
Exemplos de construções com este tipo de fachada viva. (Fontes: Contemporist e Archdaily).

 

A outra é escolher plantas ascendentes para proteger o próprio pavimento. Escolha espécies sem raízes agressivas, de porte compatível ao pé direito da edificação. Podem ser herbáceas, arbustos ou até árvores. Um exemplo lindo é o Manacá de Jardim, que além de ter um porte pequeno, tem flores maravilhosas!

 

Corte esquemático de floreiras com espécies ascendentes.
Corte esquemático de floreiras com espécies ascendentes.

 

Uma ideia linda de fachada viva, com floreiras lineares que ocupam toda a largura da construção. Esta é a Ha house por Vo Trong Nghia Architects. Reparem como cada espécie dita o espaçamento entre as floreiras. (Fonte: Impressive Interior Design).
Uma ideia linda de fachada viva, com floreiras lineares que ocupam toda a largura da construção. Esta é a Ha house por Vo Trong Nghia Architects. Reparem como cada espécie dita o espaçamento entre as floreiras. (Fonte: Impressive Interior Design).

 

Jardins verticais:

O último exemplo de fachadas vivas de hoje são os jardins verticais. Eles podem ser compostos de módulos, de vasos alinhados ou de alvenaria específica para este uso. As opções de plantas aqui são inúmeras: samambaias, beijos, peperômias, aspargos, columélias, trapoerabas, bromélias, orquídeas, enfim, uma infinidade de espécies.

 

Corte esquemático de jardim vertical
Corte esquemático de jardim vertical.

 

Exemplos de fachadas com jardins verticais. Podem ser combinados com brises de madeira, compor muros contínuos ou emoldurar as aberturas. (Fontes: Casa Goia, Casa Vogue, Decor Fácil e Home Teka).
Exemplos de fachadas com jardins verticais. Podem ser combinados com brises de madeira, compor muros contínuos ou emoldurar as aberturas. (Fontes: Casa Goia, Casa Vogue, Decor Fácil e Home Teka).

 

Mix & Match:

Enfim, vocês viram que podemos criar fachadas vivas de diversas formas! Inclusive, é interessante combinar estas soluções apresentadas para criar uma fachada única. O importante é usar a criatividade!

 

Exemplos de fachadas que combinaram muros verdes com floreiras ou vasos nas varandas e beirais. (Fontes:)
Exemplos de projetos que combinaram muros verdes com floreiras ou com vasos nas varandas e beirais. (Fontes: Thiet ken ha House Land e National Geographic).

 

Fontes:

Archdaily Casa Green ScreenArchdaily Casa JardinsCasa GoiaCasa VogueContemporistDecor Fácil FachadasDecor Fácil PortõesDivisareHome TekaImpressive Interior DesignNational GeographicPlataforma ArquitecturaSelectorTelhado JardimThiet ken ha House LandVogue

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *